Dicas de e-commerce B2C a executar em 2024

Descubra como seguir as tendências em 2024 com as melhores dicas de e-commerce! 

Descubra como seguir as tendências em 2024 com as melhores dicas de e-commerce! 

O ano de 2024 ainda está no seu início, mas já é possível identificar as principais tendências do comércio eletrónico. Desta forma, quem pretende acompanhar o que as empresas mais atualizadas se encontram a fazer para se manterem como autoridades na área, devem seguir as principais dicas nesta matéria do comércio eletrónico.  

O mercado está dividido entre empresas B2B ou B2C. Tratam-se de dois negócios com diferentes desafios, com públicos-alvo distintos. Ora, se quer aprender a dominar o e-commerce e tornar a sua empresa numa referência do e-commerce B2C, tem de aprender a fazer a diferença no mundo digital.  

E-commerce B2C: considerações gerais 

O e-commerce B2C permite que as empresas apresentem os seus produtos a diversos clientes espalhados pelo mundo. O comércio eletrónico não tem limitações geográficas, ao contrário das lojas físicas. Além disso, este comércio encontra-se disponível 24h/dia, 7 dias/semana.  

O business-to-consumer (B2C) no e-commerce tem crescido nos últimos anos de forma expressiva, tornando-se numa das formas fundamentais de venda de produtos e de serviços.  

Há dois tipos de transações comerciais no e-commerce: as vendas B2B (business-to-business, negócio realizado com empresas) e B2C (business-to-consumer, negócio realizado diretamente com consumidores).  

As empresas B2C consistem num modelo de negócio em que as empresas vendem para os consumidores finais, diretamente. O e-commerce B2C visa apresentar produtos e serviços de qualidade que permitam corresponder às necessidades dos clientes.  

Os clientes do business-to-consumer podem comprar produtos online de forma fácil, prática e conveniente, através de um site. Geralmente, ou idealmente, trata-se de um processo de compra simples e rápido de realizar.   

As empresas no e-commerce B2C devem focar-se em proporcionar aos clientes uma experiência de compra positiva, um processo que vai da navegação no site até a entrega do produto.  

Desta forma, além de apresentar uma ampla gama de produtos, deve revelar preços competitivos, expor informações pertinentes sobre os produtos, apresentar opções de pagamento seguras e eficientes, além de proporcionar um serviço de atendimento de qualidade. 

No e-commerce B2C, as empresas podem usar dados do cliente de forma estratégica, para personalizar a experiência de compra. Desta forma, podem oferecer a essas pessoas a possibilidade de comprarem produtos e aderirem a promoções que atendam às suas respetivas necessidades. Existem estratégias que permitem a estas empresas apresentarem melhores resultados. 

8 dicas de e-commerce B2C a (re-)ver em 2024

Após entender o papel do e-commerce B2C, resta saber como pode e deve utilizá-lo na sua empresa, de maneira a tirar o máximo partido das suas potencialidades. Eis algumas dicas a ter em consideração. 

1. Uso da Inteligência Artificial (IA) no e-commerce

Segundo um estudo dos CTT, as ferramentas de IA são usadas, fundamentalmente, para melhorar a relação com o cliente e a sua experiência de compra na loja online, mediante a  recomendação personalizada de determinados produtos, por via do envio de mensagens personalizadas e da implementação de chatbots e assistentes virtuais.  

A ferramenta da IA também tem sido usada na gestão do stock ou inventário, na análise de dados e muito mais. Desta forma, a IA pode assumir um papel de relevo, pois pode servir como meio facilitador do processo. 

A Inteligência Artificial (IA) pode ser importante na personalização. A IA irá prosseguir no seu desenvolvimento. Esta tecnologia será usada para personalizar as experiências do cliente. 

Irá permitir a análise de dados em tempo real e proporcionar aos clientes recomendações altamente eficazes, que irão contribuir para melhorar a retenção de clientes e ajudarão a aumentar as taxas de conversão, quer em e-commerce B2C, quer em B2B. 

2. Criação de um funil de vendas

O funil de vendas continuará a ser uma ferramenta fundamental. Todas as empresas que pretendam vender na internet devem ter isso em conta.  

O processo consiste em orientar o potencial cliente por uma jornada, que surge numa apresentação e descoberta da marca e conclui-se na realização da compra. O objetivo deste processo é transformar o interesse do cliente numa ação concreta. 

É fundamental compreender as diferentes etapas que o cliente percorre, antes de realizar a compra, para se realizar um funil de vendas eficiente. Um cliente pode começar por procurar informações sobre um determinado produto ou serviço e, posteriormente, passar pela comparação de preços e de caraterísticas entre produtos ou serviços semelhantes.  

Finalmente, chega ao momento da decisão de comprar o produto ou serviço. Para as empresas aumentarem as possibilidades de conversão, é fundamental compreender essas etapas e proporcionar ao potencial cliente conteúdo relevante em cada fase. 

3. Determinação do seu público-alvo

A tecnologia avança, mas para vender na internet continua a ser fundamental conhecer bem o público-alvo. Por isso, convém compreender as necessidades dos seus potenciais clientes e os seus respetivos desejos e hábitos de consumo.  

Estes dados são essenciais para a criação de um posicionamento de marca adequado. Tratam-se de informações fundamentais para o desenvolvimento de produtos e de serviços que correspondam às demandas do mercado. 

Realizar análises de mercado permite obter informações, bem como recolher dados sobre os hábitos de navegação dos utilizadores que acedem ao seu site. Também pode recorrer a ferramentas de análise de dados, nomeadamente o Google Analytics, para compreender melhor o comportamento dos potenciais clientes. 

4. Conhecimento do “inimigo”

A análise da concorrência é fundamental. Esta estratégia é essencial para as empresas que pretendem vender na internet. Realizar esta análise permite fazer uma avaliação aos pontos fortes e fracos dos inimigos, isto é, dos concorrentes.  

Desta forma, poderá conseguir identificar oportunidades para se diferenciar no mercado. Há inimigos que se apresentam mais atualizados relativamente às novas tendências. Ora, não se pode deixar ultrapassar pelos concorrentes. 

Uma estratégia comum é recorrer a ferramentas como o SEMrush, que permite realizar essa análise aos concorrentes e identificar palavras-chave que se encontram a ser utilizadas em campanhas de marketing das empresas rivais.  

Pode ainda recorrer ao SimilarWeb, plataforma que fornece dados sobre o tráfego e dá informações sobre o engajamento nos sites das empresas concorrentes. 

5. Produção do melhor site de e-commerce

Embora haja diversas opções no mercado, há plataformas mais indicadas para criar o site de e-commerce. Todas apresentam vantagens e desvantagens. Idealmente, a melhor plataforma consegue oferecer o que os clientes procuram.  

A plataforma deve oferecer recursos relevantes, nomeadamente segurança nas transações, facilidade de utilização, integração com meios de pagamento, entre outras caraterísticas. 

A existência de várias opções de plataformas de e-commerce no mercado pode fazer com que se faça uma má escolha baseada no preço. No entanto, convém assegurar uma opção que promova da melhor forma o seu negócio. 

6. Realização de campanhas online

Uma estratégia eficaz de atrair clientes novos e de aumentar as vendas na internet consiste em realizar campanhas online. Em 2024, esta estratégia continuará a ser eficiente. Estas campanhas podem ser feitas em canais distintos, nomeadamente redes sociais, e-mail marketing e anúncios pagos.   

7. Acompanhamento pós-venda

Para assegurar a fidelização dos clientes, também é importante dar a devida atenção ao momento pós-venda. Esta é uma etapa fundamental e continuará a ser relevante em 2024.  

Proporcionar um bom suporte no pós-venda revela-se uma estratégia vencedora. Assegurar um atendimento eficiente, investir na resolução de problemas e facilidade de trocas e devoluções são procedimentos com importância.  

Uma empresa B2C deve mostrar-se sempre disponível para ouvir os clientes, não apenas os seus elogios, mas também as respetivas queixas. Assim, o relacionamento será mais sólido, leal e duradouro. 

8. Investimento em sistemas de segurança 

Um fator fundamental para os clientes que realizam as suas compras na internet está na  segurança das transações.  

Por isso, para as empresas B2C, revela-se um passo fundamental investir em sistemas de segurança, nomeadamente em certificados SSL e sistemas de antifraude, para assegurar aos clientes a proteção dos seus dados. Assim, as empresas irão fomentar a confiança nas transações. 

Ao fazer o investimento em sistemas de segurança, é crucial que o empreendedor procure por soluções que se encontrem conforme a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados), assegurando a privacidade dos dados dos clientes.  

Para tal acontecer, convém contar com a ajuda de profissionais especializados em segurança da informação e ter conhecimento das boas práticas que asseguram a proteção de dados. 

Se quer implementar estratégias que assegurem o sucesso da sua empresa no mercado B2C, pode encontrar na BDCA Digital o seu parceiro em tecnologia e marketing. Ora, num universo digital onde a concorrência é feroz, contar com um aliado de peso como a BDCA Digital, pode revelar-se um trunfo decisivo!

Partilhe este artigo:

Artigos relacionados

Subscreva a nossa newsletter

Subscreva a nossa newsletter e receba dicas e novidades do mundo digital.