Como construir relacionamentos com os clientes?

Descubra o que fazer para fomentar uma relação próxima e leal com os seus clientes.

É algo intrínseco no ser humano procurar por afetividade. As relações afetivas fazem parte da essência de homens e de mulheres que integram a sociedade. Esta realidade indesmentível pode contribuir para as atividades pessoais e profissionais de forma bastante positiva.  

Atualmente, as empresas reconhecem isso mesmo, procurando vender a clientes com quem tenha estabelecido um relacionamento próximo.  

Como construir relacionamentos com os clientes? 

O método de vender desenvolveu-se. Atualmente, há resultados para se obter e metas para se alcançarem. O momento da compra deve estabelecer um sentido e uma experiência. O comprador não quer apenas um produto. Também quer comprar a uma empresa em que confie e com a qual partilhe valores.  

Desta forma, os vendedores têm muito a ganhar, quando conseguem criar laços com os consumidores. Por isso, ter a capacidade de fomentar um relacionamento forte, fiel e de cumplicidade com os seus clientes revela-se o grande desafio para as marcas e as empresas. As entidades empresariais que conseguem fazê-lo distinguem-se num mercado bastante competitivo. 

Existe um conjunto de estratégias que permite criar laços com os clientes e fortalecer esses vínculos. Criar uma experiência de compra agradável ajuda a fidelizar o público e a fazer com que o comprador retorne.  

Estabelecer essa relação de proximidade com os consumidores favorece a marca. O negócio prospera, porque são assegurados bons resultados a curto prazo que podem ser ainda melhores a curto, médio e longo prazo.  

1. Linguagem e transparência

Ser transparente é fundamental. O cliente deve conhecer as diferentes etapas que fazem parte do processo de compra. Trata-se de algo que o ajuda a sentir-se seguro e confiante. Ora, a confiança é a base para o desenvolvimento de um relacionamento próximo. Para tal acontecer, convém usar uma linguagem próxima, clara, simples.  

As informações sobre o produto ou serviço devem ser precisas e rigorosas, tal como deve ser apresentada uma explicação sobre como a entrega ocorrerá e como o cliente poderá fazer se tiver algum problema no meio do processo.  

2. Humanize os processos

Embora seja verdade que a automatização permite agilizar alguns processos, não se pode deixar que as mensagens automáticas assumam todas as responsabilidades. Se uma empresa cometer esse erro, o cliente irá procurar uma alternativa. 

Seguramente que prefere que seja alguém da empresa a estar disponível para responder e esclarecer as suas dúvidas do que ter mensagens automáticas, algo que demonstra frieza e distanciamento.  

O melhor procedimento é a abordagem via whatsApp ou rede social. Se o cliente preencheu um formulário ou enviou uma mensagem na aplicação, ter uma pessoa a responder humaniza o processo, o que é uma mais-valia.  

3. Conheça o seu cliente

É importante compreender as dores, as forças e os anseios do cliente. Ter esse conhecimento permite que o possa abordar e oferecer os produtos e serviços de que ele necessita.  

Para saber a melhor forma de comunicar com o cliente, é preciso conhecer o consumidor. O cliente compra produtos ou serviços. No entanto, embora contribua para os lucros de uma empresa, os consumidores são pessoas, não são números.  

Demonstre interesse pelos seus clientes e encontre-se disponível para atender às solicitações. O contacto não deve ser uma imposição, não force, apenas permita que ele compreenda que a pessoa por trás da empresa se preocupa com o cliente.

4. Atraia o cliente certo

Para chegar aos clientes ideais, não basta contar somente com o conteúdo orgânico. É possível comunicar diretamente com o seu cliente ideal com o tráfego pago e as segmentações corretas. Desta forma, tem o público alvo definido para poder trabalhar na criação do vínculo.   

Desde o primeiro contacto que deve fomentar um bom relacionamento com esses consumidores. A segmentação é uma boa estratégia até para apostas regionais, porque permite chegar ao que lhe interessa, escolhendo onde o anúncio vai aparecer, numa cidade ou distrito, por exemplo. 

Nem todos os clientes são certos para o seu negócio. A chegada de pessoas que se enquadrem fora do perfil de cliente pode prejudicar a empresa de formas distintas, nomeadamente implicar a utilização de recursos que não gerarão retorno e fomentar uma propaganda negativa do seu produto ou serviço, porque não reconhece o seu valor. 

5. Escute o seu cliente 

É importante ter em conta os feedbacks dos clientes e ouvir o que os consumidores dizem sobre a marca e sobre os produtos / serviços prestados. Se uma empresa quer melhorar, os clientes são as melhores pessoas a encontrar falhas que passam despercebidos à equipa. 

Ouvir o que eles têm a dizer é a melhor estratégia. Poderá receber informações preciosas sobre o que os clientes realmente desejam, sobre os defeitos que os seus serviços apresentam (produtos, site, blogue…).  

A opinião do cliente revela-se um excelente indicador da qualidade do negócio que uma empresa apresenta. As críticas negativas devem ser vistas como uma oportunidade. Tenha essa informação em consideração e melhore o ponto identificado. 

6. Promova o sentimento de pertença

É importante fazer de tudo para que o cliente sinta que contribuiu para o processo de venda. Para tal acontecer, o cliente tem que ser escutado. Ouça o que ele tem a dizer e tente compreender os seus argumentos.  

A relação empresa-cliente é uma relação dual. Ambos os lados são importantes para o relacionamento ser sólido. Os clientes não são números, são pessoas. Por isso, gostam de sentir que fazem parte de algo. Promova neles o sentimento de pertença. Trata-se de um trunfo inestimável. 

7. Resolva os problemas

Uma empresa deve ser proativa. Mesmo tendo um processo de vendas bem estruturado, uma empresa pode apresentar problemas. Resolva-os mal sejam identificados.  

A transparência é indispensável quando os problemas surgem. Após escutar as reclamações do cliente, deve existir um esforço genuíno, um comprometimento para encontrar a melhor solução para o consumidor e para a empresa. 

8. Faça uma jornada emocional com o cliente

A venda que visa criar laços é feita de forma responsável e consegue proporcionar ao cliente uma jornada emocional. As experiências realizadas pela empresa devem tender a repercutir nos consumidores de forma positiva para promover esse relacionamento próximo. 

Apelar às boas emoções revela-se um bom caminho. Favorecer a criação de elos cativa os consumidores. O processo de venda fica facilitado quando o cliente vivencia uma jornada agradável e significativa.  

Quando o consumidor fica encantado com as experiências adquiridas, tende a querer voltar, porque viveu algo que ficou na sua memória. Se as marcas e empresas promoverem um bom relacionamento, o regresso do cliente tende a surgir.  

Não basta pensar apenas no momento da compra. O plano deve ser pensado e desenvolver estratégias para melhorar toda a experiência, a jornada do início ao fim.  

9. Fideliza 

A afeição criada por uma marca está na origem de diversos benefícios, nomeadamente a lealdade. A fidelização do cliente é uma mais-valia para a sua marca e negócio. O relacionamento estreito é benéfico para ambos: clientes e vendedores. Fidelizar permite fazer com o que o cliente se encontre a par daquilo que é oferecido. 

O cliente só compra quando está seguro. Por isso, cabe à empresa garantir que o consumidor apresenta essa segurança. As estratégias estabelecidas devem visar fomentar essa confiança. Ora, ela não brota do nada, é preciso fazê-la surgir, semear, regar, cuidar para depois colher os frutos. 

10. Produzir uma boa memória da marca 

Desenvolver estratégias para que a marca fique na memória é uma estratégia formidável. Por exemplo, oferecer uma rosa às clientes do género feminino no dia da mulher, oferecer cravos do dia 25 de abril são procedimentos que revelam sensibilidade.  

Quando uma empresa consegue criar impacto emocional com uma medida que revele sensibilidade, o cliente dificilmente se esquece. Qualquer empresa ou negócio beneficia em diversas dimensões, quando promove gestos com o consumidor que visam nutrir um bom relacionamento. 

Estabelecer uma relação próxima implica esses pormenores, enviar um email com uma mensagem de aniversário, oferecer um desconto e/ou portes de envio são pequenos gestos que fazem a diferença e permitem distinguir-se entre a concorrência que desvaloriza esses “pormaiores”. 

Parceria digital, BDCA Digital 

Ter um parceiro digital como a BDCA Digital revela-se a melhor estratégia para uma empresa ter sucesso no competitivo mundo digital. Contar com o conjunto de especialistas da BDCA Digital permite à sua empresa socorrer-se do know-how destes profissionais que dominam a área do marketing digital e das tecnologias, desta forma, fica mais fácil a sua empresa estabelecer-se como uma autoridade na sua área de intervenção.

Partilhe este artigo:

Artigos relacionados

Subscreva a nossa newsletter

Subscreva a nossa newsletter e receba dicas e novidades do mundo digital.